Se tiverem comentários, literalmente é só falar.







quarta-feira, 21 de julho de 2010

Dia Do(a) Amigo(a)


“Sexta fui assistir ao Capital Inicial. Não poderia ter melhor início de férias: a Glória na quinta e o show deles.

Está bem, confesso: o mundo não é perfeito: a empregada se foi e as roupas e todo o resto clamaram por água, num dia de sol como aquele. Perdão aos meus amigos pela demora na homenagem.

Lá pelas duas horas da manhã, depois de vários retornos, o Dinho Ouro Preto, vocalista do grupo, parou no canto direito e frontal do palco, esticou o corpo colocando as duas mãos, primeiro na cabeça, depois estendendo-as bem com os braços e os olhos para cima, permanecendo nessa posição, ouvindo os aplausos, por mais de uma centena de segundos.

O último mês de novembro - após cair do palco, de costas, ao final de um show - passou no hospital.

Teve que reaprender a falar, escrever e andar.

Essa era sua segunda apresentação pós-acidente.

Para gravar as músicas do novo cd, “Das Kapital”, precisou treinar diariamente uma única canção com a fonoaudióloga, enquanto que, antes, cinco saiam sem maiores esforços.

No instante em que olhei o Dinho, e os aplausos, e as pessoas, e as luzes, e a melodia, me lembrei no dia do acidente, das energias boas que lhe enviei: assim, como mais uma porção de gente.

(Maria Valéria de Lima Schneider)”